O Uso de Cartão de Crédito no Brasil

O cenário de uso do cartão aumentou enormemente nos últimos anos; Por outro lado, o uso de cheques diminuiu.

De acordo com os índices emitidos pelo Banco Central em julho de 2017, o último sobre o assunto até o momento, transação com cartão de crédito resultaram em US $ 674 bilhões, um aumento de 3% em relação a 2015, enquanto os cartões de débito representam R$ 430 bilhões, um aumento de 10%.

Os dados fazem parte das estatísticas de pagamentos e cartões de varejo no Brasil, publicados pela instituição.

Imagem: voamaria.com.br

Transações

Em número de transações, as transações com cartões de crédito aumentaram 6% de 2015 para 2016 e atingiram 5,9 bilhões de transações. No caso do cartão de débito, houve 6,8 bilhões de transações, o que significa um aumento de 5%.

Uso de Cheques Caíram

No entanto, o uso de cheques continua a diminuir. Em 2016 houve, de acordo com as 879 milhões de transações de verificação do Banco Central, representando uma queda de 14% em relação a 2015. O valor foi reduzido verificando as transações em 12%.

Expansão de Dívidas em Cidades do Interior

Segundo a análise da Associação Brasileira de Cartões de Crédito (Abecs) para fazer a maior parte desse crescimento para o aumento da dívida interna nos últimos anos: 58,1% do valor total das compras feitas com cartões de crédito O débito foi realizado nas cidades do interior, comparado a 41,9% das capitais.

Aumento no Uso de Equipamentos Móveis

Se o uso do cheque foi reduzido, por outro lado, o uso de dispositivos móveis, como telefones celulares, foi registrado alto. Os dados do Banco Central mostram que, em 2016, 16,7 bilhões de transações foram realizadas com equipamentos móveis, representando 28% do total de transações. Em 2015 esse percentual foi de 19%.

Internet é o Canal de Acesso mais Importante

A Internet ainda é o canal de acesso mais importante, com o uso do PC. Em 2016, 33% das transações foram realizadas dessa forma. As transações bancárias em agências ou postos de serviços somaram 8.100 milhões de transações, uma redução de 8% em relação a 2015.