Em 2016, as taxas de juros dos cartões de crédito superaram a taxa de juros e os cheques especiais em quase 160%. Apesar da conveniência de concentrar os gastos e fazer compras caso a caso, os cartões de crédito podem continuar sendo uma armadilha. Boa educação financeira e bom planejamento evitam deslizes que podem atrapalhar o controle financeiro.

Imagem: CW Tour

Segundo Wagner Paludetto, consultor do Sebrae, o uso do cartão é mais frequente porque representa segurança. Com chips e senhas pessoais cada vez mais difíceis de clonar, o risco é baixo. Mas, é necessário usar com consciência. “O limite disponível no cartão de crédito não constitui renda adicional, é apenas outra forma de pagamento.”

Confira Algumas dicas para tornar o cartão de crédito um aliado e não o vilão de suas finanças:

Seja disciplinado

Aqueles que têm um cartão de crédito devem ter o hábito de perguntar se realmente precisam comprar, evitando assim despesas impulsivas. Rejeitar ajuda a resistir à tentação de comprar. “Você não pode ter a ilusão de que as compras sem fim no mapa são um sinal de status, ter um limite muito alto não é bom, o ideal é um valor compacto com boa saúde financeira”, diz -lo.

Limite-se a apenas dois cartões

A administração de um cartão de crédito já pode ser complicada, gerenciar vários é ainda mais. Planeje no máximo duas placas de banner diferentes, se julgar necessário. Assim, as despesas tornam-se mais concentradas. Você também deve evitar as muitas opções de cartões disponíveis nas lojas.

Priorize o pagamento do valor integral da fatura

O crédito rotativo no Brasil tem taxas de juros muito altas, então o ideal é sempre pagar as contas mensais. Evite dividir a dívida ou pagar o mínimo. “As taxas de juros no Brasil já são de 447% ao ano para aqueles que usam cartões de crédito”, disse Wagner.

Imagem: Blog Bluesoft

Tente negociar as anuidades

Alguns bancos permitem que o cliente negocie o valor da pensão ou seja isento, por meio de um valor de custo vinculado. Faça uma tentativa de negociação no banco para reduzir esse valor e continue pagando apenas o que consumiu mensalmente.

Coloque a data de vencimento da fatura próxima ao salário

Com essa tática, a pessoa já paga a conta depois de receber o salário e evita atrasos e multas por falta de dinheiro no final do mês. Além disso, é difícil esquecer ou não programar o pagamento dessa dívida.

Faça um planejamento

É importante saber quanto foi gasto no papel e onde. Organizado para escrever todos os usos do cartão de crédito. Não esqueça de contar também taxas fixas, como uma academia ou TV a cabo, por exemplo. Você paga para apostar em uma planilha no seu computador, um espaço para armazenar os comprovantes ou até mesmo aplicativos no seu telefone.