Devido à falta de controle ou planejamento financeiro, muitas pessoas acabam consumindo mais do que podem e, quando muito endividadas, muitas vezes creditam seu desequilíbrio no cartão de crédito. Assim, o cartão de crédito é considerado por muitos como o maior inimigo das finanças pessoais.

Antes de qualquer julgamento, é interessante saber que o cartão é apenas uma ferramenta. Cada ferramenta, se usada incorretamente, é capaz de causar grandes danos. No entanto, se usado com sabedoria, oferece ao usuário enormes benefícios.

Imagem: Heloisa Amante

Com o cartão de crédito, não é diferente! Usada sem disciplina ou planejamento, essa “moeda de plástico” provavelmente causará dívidas financeiras sórdidas e dívidas exorbitantes, o que será muito difícil de ser apagado.

No entanto, se você usá-lo conscienciosamente, seu cartão de crédito será um excelente aliado de suas finanças e permitirá que você se beneficie de vantagens e instalações de qualidade.

Aqui estão 10 dicas úteis para usar seu cartão de crédito de maneira inteligente, evitando o alto interesse e despesas desnecessárias, e aproveitando os principais benefícios dessa ferramenta.

Dicas para usar melhor seu cartão de crédito

1 – Elabore seu planejamento financeiro

É recomendável que você faça seu planejamento financeiro antes de usar seu cartão de crédito. Ao fazer isso, você pode planejar e saber quanto pode gastar no cartão para ter o dinheiro para pagar o valor total da fatura até a data de vencimento.

Além disso, durante o seu planejamento financeiro, você evitará andar desnecessariamente com o cartão e, portanto, evitará gastar dinheiro com itens desnecessários.

Para despesas diárias, sempre prefira comprar dinheiro, porque quando você vê dinheiro do seu bolso, você estará mais ciente da necessidade de comprá-lo.

2 – Limite do cartão deve ser de, no máximo, 50% do seu salário

Ao usar o cartão de crédito, você tem a falsa impressão de que o dinheiro não está saindo da sua conta. Isso pode ser definido como “a deliciosa ilusão de comprar sem gastar um centavo”.

No entanto, o pesadelo começa quando a conta chega em sua casa ou e-mail.

Por isso, o educador financeiro Reinaldo Domingos dá conselhos valiosos àqueles que costumam gastar mais do que a conta: o limite do cartão de crédito deve ser no máximo 50% de sua renda líquida, ou seja, que você ganha depois de todos os descontos. .

3 – Registre todas as despesas

Você deve conhecer e analisar como seu dinheiro foi gasto. Desta forma, é imperativo observar todas as despesas incorridas no cartão de crédito. Para fazer isso, a maneira mais fácil é usar um aplicativo de finanças pessoais, como o Mobills.

No entanto, se você não gosta de usar a tecnologia para facilitar a sua vida, a folha detalhada pode ser sua ferramenta de controle.

Nesse caso, você precisará usar uma planilha ou um caderno antigo para realizar o controle financeiro e analisar a qualidade de suas despesas.

De uma forma ou de outra, é essencial saber para onde vai o seu dinheiro, para que possa tomar as medidas necessárias para melhorar a sua situação financeira.

4 – Utilize apenas um cartão

Ter um único cartão de crédito facilita muito nosso planejamento e controle de despesas. O ponto que merece mais atenção é a impulsividade na hora de gastar. Quem tem mais de um cartão, está mais inclinado a superestimar as compras e acaba gastando mais do que consegue.

Quando o limite de um cartão é atingido, algumas pessoas começam a usar o outro cartão, depois o outro cartão … Em suma, eles não percebem o dano em um mês, quando as contas vão chegar até nós.

Além disso, cada cartão de crédito tem taxas de anuidade, às vezes nada barato. Qualquer pessoa com apenas um cartão certamente não gastará muito dinheiro nessas taxas.

Outra vantagem é que, com um único cartão, você certamente terá menos tempo para verificar a conta e analisar todas as despesas deste mês.

Imagem: IQ 360

5 – Negocie as taxas de anuidade. Sempre!

Alguns cartões de crédito, especialmente aqueles com os melhores programas de benefícios e descontos, normalmente cobram taxas de anuidade muito altas.

Algumas dessas anuidades somam R $ 300,00. É um dólar. Se você usa seu cartão de crédito permanentemente, saiba que está em uma posição vantajosa para negociar essas taxas.

Com cada compra que você faz, a operadora de cartão de crédito recebe uma porcentagem do valor da compra. Você pode usar este argumento para dizer que você já é um bom cliente, que usa o cartão de forma consistente e já garante ao operador uma boa transmissão dos valores que você compra.

Não faz muito tempo, usei esse argumento, negociei um pouco mais e consegui 50% de desconto em minha pensão. Não é mau!

Outra dica para evitar gastos elevados com a anuidade é analisar se você está realmente usando todos os benefícios oferecidos pelo cartão. Cartões internacionais geralmente têm aluguéis mais altos e algumas pessoas os possuem, mesmo que não estejam aptos ou tenham a intenção de viajar para o exterior.

6 – Jamais pague somente o mínimo!

Pagar apenas o valor mínimo pode tornar sua dívida simplesmente inestimável! Isso porque o cartão é uma das formas mais caras de financiamento, perdendo apenas através do financiador.

Portanto, evite pagar o valor mínimo ou instalar a dívida. Se você já está em dívida, entender como sair da dívida de cartão de crédito.

Se você está tendo problemas para pagar o valor total da conta, é melhor pedir dinheiro emprestado com um crédito pessoal, pagar o cartão de crédito e instalar o novo empréstimo porque o interesse é geralmente muito menor. alta.

No entanto, a melhor coisa é que você siga o primeiro conselho e estabeleça seu planejamento financeiro antes de comprar qualquer coisa em seu cartão de crédito.

Você não pode tratar seu cartão de crédito como renda extra e endividar-se por falta de controle financeiro! Para mais informações sobre planejamento financeiro.

7 – Consulte o saldo do cartão frequentemente, para evitar sustos na hora da fatura

Por não ver dinheiro fora do bolso quando se trata de pagar, algumas pessoas relaxam muito com seu cartão de crédito e muitas vezes acabam gastando mais do que podem. Acredite, é bem comum.

Quando o dinheiro não sai do seu bolso, é fácil se perder e você fica um pouco fora de controle quando se trata de gastar. E quando a conta chega, é um susto!

8 – Evite pagar contas de água, luz e telefone no cartão 

Algumas pessoas acham muito interessante concentrar todos os pagamentos no cartão de crédito, porque é fácil se preocupar com uma conta simples.

No entanto, o pagamento de contas de serviços públicos (água, luz e telefone) no cartão geralmente não é um bom negócio porque os administradores geralmente cobram uma taxa pelo fornecimento desses serviços.

Imagem: Juros Baixos

É necessário, portanto, conhecer o valor das tarifas cobradas e analisar se vale a pena gastar mais para se beneficiar dessa “vantagem”.

9 – Fique atento aos programas de descontos e vantagens

Hoje em dia é fácil encontrar cartões de crédito com programas e benefícios de recompensas. O programa de milhas é um bom exemplo. Quando você compra com um determinado cartão, acumula pontos que podem ser resgatados por milhas e passagens aéreas.

Alguns pontos também podem ser trocados por combustíveis ou outros produtos em geral, como eletrodomésticos, bicicletas, etc.

Além disso, alguns cartões oferecem descontos de até 50% em cinemas, teatros, jogos de futebol ou compras feitas em redes de lojas parceiras.

Dessa forma, qualquer um que preste atenção a esses benefícios tem a oportunidade de economizar um monte de dinheiro em algumas compras e pode até acumular pontos suficientes para comprar passagens aéreas ou reabastecer. É uma boa!

É aconselhável não cair no erro de pensar que vale a pena gastar mais para acumular pontos. NÃO! Os pontos são um bônus adicional para comprar com este cartão de crédito. Não pense que vale a pena comprar mais e mais pessoas que pensam que estão ganhando pontos.

10 – Evite fazer cartões de loja

É bastante comum que as lojas ofereçam cartões de crédito aos consumidores para gerar fidelidade. No entanto, você deve ter muito cuidado e pensar na necessidade real de criar cartões de armazenamento.

Embora fazer compras com cartões de loja tenha certas vantagens, muitas delas só permitem que você pague a conta dentro da loja, o que pode estimular o consumo desnecessário e fazer com que você gaste mais.