Empréstimo ou financiamento? Qual a melhor opção para sua situação

São várias as situações que nos obrigam a abrir o bolso, seja para comprar uma casa, mudar de carro ou algo em caso de emergência. Como nem sempre é possível pagar com recursos próprios, existem linhas de crédito que facilitam os negócios. Dentre as condições utilizadas, surge a pergunta: contratar um empréstimo ou financiamento?

Para responder a essa pergunta, você deve detalhar as diferenças entre cada linha de crédito. Embora os bancos os ofereçam para atender à demanda, regras diferentes se aplicam. Sua escolha deve ser baseada no que você pretende fazer com o valor e a garantia exigidos pelo banco.

Tem dúvidas sobre qual opção é melhor, empréstimo ou financiamento quando se candidata a um crédito bancário? Leia até o final e conheça os detalhes de cada uma dessas opções de crédito.

➵ Leia também: Empréstimo do PagBank online: Taxas de juros 3x mais baixas, como contratar

Conheça as principais diferenças entre empréstimo e financiamento

A melhor forma de decidir sobre um empréstimo ou financiamento é conhecer as principais características de cada linha. Embora os dois trabalhem com o mesmo propósito, tomar emprestado um valor que deve ser “reembolsado” com juros adicionais, há diferenças nos custos e nas garantias. Confira abaixo:

Empréstimo pessoal:

Como funcionalidade, o empréstimo não difere da estrutura de um financiamento, mas aqui o objetivo muda um pouco. Este modelo de crédito pode ser usado para situações mais comuns, como emergências médicas, pagamento de dívidas, viagens, etc.

Ao contrário do financiamento, os empréstimos exigem menos garantias do seu banco e a aprovação é mais rápida. Você não precisa justificar o empréstimo ou fornecer uma declaração de como usará o dinheiro. Portanto, existe até a possibilidade de um empréstimo para autônomos.

Como nenhuma garantia é exigida, o banco apenas examina o histórico de pagamentos, então, por exemplo, aqueles com um nome ruim podem ter problemas. Com menos garantias, há um risco maior de inadimplência do banco, certo? Desta forma, os juros cobrados tornam-se, consequentemente, mais elevados.

Financiamento:

O financiamento é o principal meio utilizado pelas pessoas que pretendem comprar uma casa ou trocar de automóvel. A condição imposta pelas instituições de crédito que solicitam este crédito é a obrigatoriedade de destinar o valor para um fim específico e previamente acordado com o banco.

É um modelo de crédito usado para propósitos de alto valor que requerem um orçamento e uma proposta. Portanto, a garantia está diretamente vinculada ao bem a ser adquirido, como no caso de alienação fiduciária. Cabe ao cliente “convencer” o banco de que pode pagar um contrato onde o próprio imóvel é repetidamente utilizado como garantia.

O prazo de pagamento de um financiamento imobiliário pode levar até 30 anos, portanto, exige mais organização. Outra questão importante refere-se ao comprometimento do limite orçamentário: o valor das parcelas não pode ultrapassar 30% da renda mensal da família.

➵ Não perca: Empréstimo pessoal com rapidez e sem burocracia de R$ 5 mil

Como fazer a melhor escolha de crédito?

Agora que você entende as diferenças entre as opções disponíveis, será mais fácil decidir entre solicitar um empréstimo e um financiamento. A melhor opção para isso dependerá especificamente de seu objetivo e deve ser analisada com cautela pelo seu banco.

Se pretende comprar um imóvel, o financiamento pode ser a sua melhor opção. Existem ainda maneiras de calcular as despesas em que você incorrerá durante o contrato, como juros, entrada e todas as despesas bancárias usando o simulador de finanças.

Não se esqueça: como o financiamento utiliza ativos como garantia, é preciso fazer um planejamento financeiro para evitar consequências em caso de endividamento. Portanto, esse tipo de crédito exige mais comprometimento.

Você pode solicitar um empréstimo tanto em bancos quanto em empresas menores, exigindo apenas comprovante de renda. Sendo mais flexível, você precisa ter cuidado para não sobrecarregar seu orçamento. Tente limitar o uso a emergências.