Financiamento do Banco do Brasil: Novidades nas taxas de juros, veja como funciona

Em linha com a queda das taxas de juros do crédito imobiliário brasileiro, anunciada em junho deste ano na Caixa Econômica com corte expressivo. Outras instituições financeiras têm procurado acompanhar essa tendência ampliando as alternativas e ofertas para os brasileiros em busca de financiamento para comprar uma propriedade nova ou usada.

O Financiamento do Banco do Brasil é um dos serviços que também passou por mudanças recentes para acompanhar a queda das taxas e certamente deve ser considerado na tomada de decisão.

Afinal, o Banco do Brasil, assim como a Caixa, é um dos principais bancos que oferece financiamento para imóveis municipais, tornando-se também uma referência nesse quesito.

Se você busca informações sobre financiamento e deseja saber mais sobre os financiamentos junto ao Banco do Brasil, continue lendo este artigo.

Você pode conferir — Financiamento de Imóvel No Banco Inter | Conheça Já!

Financiamento do Banco do Brasil: Novidades nas taxas de juros, veja como funciona
Financiamento de imóvel do Banco do Brasil

Como é o funcionamento do financiamento do BB?

Financiamento do Banco do Brasil é um serviço de crédito para aquisição de bens imóveis por meio da análise das condições e da renda da família do proponente, de modo a avaliar se atende às condições básicas para a concessão do valor solicitado.

O BB Crédito Imobiliário é participante do programa: Minha Casa Minha Vida, tem a opção de utilização do FGTS (parcialmente), e a abrangência do serviço pode chegar a até 80% do valor do imóvel desejado.

Quem deseja adquirir seu imóvel deve verificar as modalidades de financiamento e fornecer ao BB informações e documentos para proposta, avaliação e simulação.

Além de fazer nas agências físicas do Banco do Brasil, a simulação e solicitação de proposta podem ser feitas online, por meio do aplicativo do banco.

Benefício interessante, hein?

Vantagens do financiamento do Banco do Brasil?

Quem optar pelo financiamento do BB terá as seguintes vantagens:

  • Você não precisa ser cliente do BB; no entanto, diferentes perfis de relacionamento com o BB produzem diferentes benefícios;
  • Quanto mais curto for o prazo do financiamento, menores serão os juros do [novo] empréstimo;
  • Financiamento de até 80% do valor do imóvel;
  • Possibilidade de parcelamento em até 420 meses (35 anos) para efetivar o pagamento;
  • Carência de até 6 meses;
  • Opção de um mês para pular o pagamento — O requerente paga apenas a taxa de administração do contrato e o valor do seguro;
  • Financiamento de imóveis usados ​​e novos.

Passo a passo do processo de financiamento do banco do Brasil

Para melhor orientar sua escolha, elaboramos este guia com as etapas do financiamento imobiliário BB. Confira:

1º – Simulação:

Na fase de simulação, o usuário fornece dados ao sistema que simula os valores dos financiamentos.

É importante ressaltar que esses valores são apenas projeções e podem mudar. Isso porque o custo da operação é afetado e varia em função do prazo de validade ou da data base utilizada em cada simulação.

Para simular o financiamento no Banco do Brasil, acesse o site oficial da instituição financeira.

2º – Análise de crédito:

Para iniciar esta etapa, vá ao Banco do Brasil com seus documentos pessoais como RG, CPF, comprovante de renda e estado civil em seus originais e suas respectivas vias. Você pode encontrar uma lista completa de documentos (aqui).

A análise de crédito dos financiamentos do Banco do Brasil, como em outros bancos, só começa depois que o solicitante atende a uma série de requisitos.

Em geral, estes são os requisitos básicos:

  • Ter os meios para demonstrar uma renda estável;
  • Ser maior de idade;
  • Não possuir registro nas agências de restrição de crédito.

Nota: não se aceita comprovante de renda para ocupação temporária. O limite de idade pode fazer parte dos requisitos.

3º – Avaliação do imóvel:

Na fase de avaliação imobiliária, com base nas informações prestadas pelo requerente na candidatura, um avaliador, especialista de uma empresa de engenharia independente, procede à avaliação imobiliária para emitir parecer.

Este relatório, emitido em média 15 dias, servirá de base para a determinação do valor máximo dos financiamentos imobiliários e para o enquadramento das linhas de crédito.

Nesta fase, também é verificada a documentação do vendedor do imóvel, não havendo disputas judiciais neste âmbito.

4º – Contratação:

Uma vez apurado o valor do financiamento do Banco do Brasil e estabelecidos outros documentos e procedimentos de conciliação, o proponente e os vendedores recebem um contrato que ambos devem assinar.

Posteriormente, este contrato deve ser registrado no Cartório de Registro de Imóvel, estabelecendo legalmente o proprietário do imóvel.

Obs.: O FGTS pode ser usado como sua própria fonte de amortização de empréstimos imobiliários, mas não pode ser usado para financiar imóveis comerciais.

Pode Gostar — Empréstimo online Just: Crédito de fácil contratação e confiável.

Ótima novidade! O financiamento do Banco do Brasil começa a oferecer taxas diferenciadas:

No mesmo dia em que a Caixa Econômica Federal lançou a linha de crédito imobiliário indexado ao IPCA, modalidade de concessão de crédito imobiliário corrigido pela inflação, o Banco do Brasil lançou uma modalidade inédita no Brasil que combina os juros do empréstimo com o prazo do financiamento. Confira abaixo, as novas gamas de financiamento imobiliário BB:

  • Em 60 meses: a partir de 7,99% a.a. + Taxa Referencial;
  • De 61 a 118 meses: 8,05% a.a. + TR;
  • De 119 a 178 meses: 8,10% a.a. + TR;
  • De 179 a 238 meses: 8,15% a.a.+ TR;
  • De 239 a 298 meses: 8,24% a.a. + TR;
  • De 299 a 358 meses: 8,29% a.a. + TR;
  • De 359 a 418 meses: 8,45% a.a. + TR.

Categorias de sistema de amortização

Os financiamentos do Banco do Brasil operam com dois sistemas de depreciação, ou seja, dois sistemas de quitação de compras. Em suas linhas de oferta de serviços: SAC e Price-Post.

SAC (Sistema de Amortização Constante) Price
Parcelas decrescentes Parcelas constantes (no modo de publicação, as parcelas são corrigidas de acordo com um indexador).

O que considerar na hora de escolher um financiamento?

As taxas de juros baixas não são os únicos fatores que os avaliadores das opções de bancos de empréstimos imobiliários devem considerar.

É necessário comparar o CET (Custo Efetivo Total) do financiamento, visto que este componente inclui outras despesas financeiras e o custo do seguro. Juros baixos são importantes, mas se a CET for alta, essa opção de empréstimo é menos atraente.

Além disso, o valor financeiro máximo e a duração máxima também são fatores importantes. Pois, pesquisando essas opções é possível encontrar valores mais acessíveis e parcelas mais suaves ao longo do processo.

Conclusão

Em geral, o processo de financiamento é burocrático e as informações deste artigo não esgotam, de forma alguma, um tema em constante mudança. Por isso, vale sempre a pena conferir os sites das instituições financeiras para se manter atualizado.

Com certeza você encontrará a melhor opção para obter uma hipoteca de acordo com seu perfil e necessidades.

Ao encontrar um imóvel para financiar, procure empresas idôneas e de qualidade.