Como financiar um AP online: Passo a passo

Possuir uma casa é um objetivo para muitas pessoas, e é fácil entender o porquê. Você pode decorar como quiser, pintar as paredes com suas cores favoritas, pendurar fotos e plantas e alterar os armários sem ter que se preocupar com o proprietário reivindicando o imóvel ou renovando o contrato.

No entanto, ao longo do financiamento do imóvel, surgem dúvidas com frequência. Afinal, existem inúmeros critérios de processo essenciais que devem ser considerados. Além disso, você deve ter cautela na hora de buscar a melhor opção de imóveis, pois estamos discutindo uma alternativa altamente eficaz para ter a casa própria.

Neste artigo, você aprenderá como é simples financiar um apartamento, bem como os oito passos necessários para isso e os benefícios dessa alternativa. Vamos começar?

As vantagens que o financiamento proporciona

O medo de contrair dívidas de longo prazo e a crença errônea de que o investimento pode não valer a pena às vezes impedem muitas pessoas de financiar uma casa. Além de seus muitos benefícios, o financiamento é uma ótima maneira de realizar o sonho da casa própria, apesar de inicialmente ser difícil.

O simples fato de dormir e acordar em um imóvel que é seu, além de ter a flexibilidade de decorar e fazer melhorias a seu gosto, já vale o investimento. Mesmo se você estiver fazendo pagamentos mensais, eles são para algo que você possui – um investimento vitalício. No entanto, existem outros benefícios. Veja abaixo.

Fonte: Google

Leia também | Financiamento do Banco do Brasil: Novidades nas taxas de juros, veja como funciona

Possuir qualquer coisa que seja sua

Investir em algo que será seu é, sem dúvida, a principal vantagem das finanças. Além de evitar aluguel, você fará seu próprio investimento para desenvolver seu legado. Assim, a compra de uma casa proporciona segurança, conforto, independência e a chance de melhorar a qualidade de vida. Várias conspirações serão eliminadas a longo prazo, resultando em maior paz no futuro.

Possibilidade de utilização do FGTS

O governo federal brasileiro só permite saques do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) em determinadas circunstâncias, como a aquisição de imóveis, se determinadas condições forem atendidas. Para pessoas com uma quantia substancial de dinheiro, o FGTS funciona como uma entrada que reduz as mensalidades e tem duração limitada. É um alívio financeiro significativo e ajuda a viabilizar sua ambição.

Saia do seu aluguel

Se você estiver em um local brevemente, faz sentido pagar o aluguel. No entanto, para aqueles que se estabeleceram firmemente em uma cidade, o aluguel não faz mais sentido, e o financiamento de apartamentos se torna a opção mais atraente. Quando você troca o imóvel alugado pela sua própria residência, você deixa de investir em algo que nunca dará retorno.

Segurança na compra do imóvel

O financiamento imobiliário é uma das formas mais seguras de adquirir um produto, apesar de muitas pessoas ainda relutarem em usá-lo. Isso se deve ao fato de muitas vezes você já morar no apartamento, o que possibilita prazos mais fáceis e eficientes, além de várias garantias para uma transação muito mais tranquila.

Gastos para o futuro

A oportunidade de investir em novas iniciativas também é uma vantagem significativa. Ao contrário da maioria das pessoas, você pode planejar comprar um carro novo, fazer uma viagem, ter uma família, começar um negócio, entre outras coisas.

Mesmo que você não pretenda vender a casa, é reconfortante saber que o dinheiro que você gasta nessa transação pode ganhar com o tempo.

Procedimento para financiar um AP: Passo a passo

Agora que você já sabe que financiar um apartamento é altamente vantajoso, é hora de aprender a executar este projeto. Para simplificar a sua vida e ajudá-lo a analisar o que deve ser tido em conta, reunimos algumas sugestões essenciais para o ajudar a compreender como funciona todo o processo e evitar erros nas várias fases da aquisição da casa.

Prepare-se para compreender o processo passo a passo do financiamento imobiliário. Fornecemos detalhes abaixo!

1- Construir uma simulação da proposta

O financiamento de um imóvel é simplificado e menos frustrante quando uma simulação da proposta é realizada previamente. Isso porque é comum uma família se apaixonar por um apartamento, iniciar o processo de barganha e ficar insatisfeita, mesmo que tenha a entrada. Nesse caso, o desafio é verificar os critérios do financiamento imobiliário.

Certas estipulações podem complicar o processo de fechamento. Portanto, discuta cuidadosamente essas opções com a instituição financeira ou a empresa de construção. Sugira também que as ofertas sejam enviadas com base em sua renda e capacidade de pagamento.

A maioria das empresas atualmente fornece simuladores de finanças online, permitindo que você selecione a empresa financeiramente mais adequada. Consequentemente, você ganha agilidade e pula todo o trâmite burocrático.

2- Certifique-se de que a propriedade que você selecionar pode ser financiada

Considerando as características de conjuntos habitacionais como o Casa Verde e Amarela (CVA) — que pretende substituir o Minha Casa Minha Vida — todos podem ser obtidos por meio de financiamento, tornando possível a tranquilidade de morar em um apartamento próprio. Além disso, diversas entidades do setor imobiliário, como a Direcional Engenharia, oferecem excelentes condições de financiamento.

Aqui, é fundamental ressaltar que o programa CVA é uma excelente opção para quem busca financiamentos com melhores condições. No final, os programas habitacionais do governo oferecem taxas de juros mais baratas em comparação com outras formas de empréstimos, prazos de pagamento mais longos, acesso mais simples e, mais importante, a possibilidade de receber subsídios que são subtraídos imediatamente do preço do imóvel.

Existem várias possibilidades de apartamentos no mercado imobiliário, embora algumas não possam ser financiadas. Verifique os limites antes de fazer uma seleção.

A título de exemplo, como o imóvel é a base do contrato, certifique-se de que ele esteja regularizado, sem qualquer litígio atual, e registrado no Registro de Imóveis da cidade onde foi construído.

Além disso, lembre-se de que cada linha de crédito define um valor máximo de financiamento com base na sua renda mensal, já que os pagamentos não podem ultrapassar 30% da renda. Por isso, é fundamental saber quanto pode ser financiado e quanto você pode pagar, para não comprometer seu orçamento. A recomendação aqui é avaliar suas opções em profundidade.

3- Preencha a proposta online

Após determinar o valor do financiamento e quanto de sua renda será utilizado para isso, confirme se o imóvel preferencial atende aos requisitos de financiamento. Em outras palavras, apresente sua proposta aos agentes financeiros de concessão de crédito para determinar se o financiamento é viável.

Antes de enviar uma proposta online, você terá definido o plano de financiamento e negociado seus termos com o agente financeiro. Portanto, a proposta deve ser concluída para que o financiamento seja concedido. Essa proposta solicita algumas informações pessoais, como nome, CPF e PIS, telefone, e-mail, escolaridade e renda.

É de extrema importância ter atenção redobrada para que nenhuma informação seja omitida e nenhum dado incorreto seja inserido; caso contrário, o procedimento será adiado. Um conselho é reunir tudo o que você precisa para a proposta antes de se sentar para completá-la.

4- Envie a documentação necessária

A documentação necessária para adquirir o financiamento de um apartamento varia entre bancos e empresas de construção. No entanto, o seguinte é frequentemente necessário:

  • Documentos pessoais (RG e CPF);
  • Comprovante de estado civil;
  • Prova de renda;
  • Certidão negativa de dívida municipal, estadual e ativa da União ou certidão positiva com efeito negativo de dívida;
  • Extrato do FGTS e certidão negativa de titularidade do imóvel, para quem pretender utilizá-lo;
  • Declaração de imposto de renda e extratos bancários dos três a quatro meses anteriores;
  • Cópia do FGTS.

Em caso de uso do FGTS: cópia da carteira de trabalho, extrato atual do FGTS e cópia da declaração de imposto de renda. Se o comprador for pessoa jurídica: documentos pessoais dos sócios (RG e CPF), contrato e/ou estatuto atualizados e Certidão de Regularidade do FGTS.
Não se esqueça de separar com calma e antecedência os papéis para evitar muitas idas ao cartório e ao banco.

5- Aguardar o crédito e avaliação legal

O arquivamento de trabalhos também inclui estudos de crédito e direito. De acordo com as informações e documentos fornecidos, a instituição financeira verificará a renda declarada, a identidade do comprador e os atributos do imóvel para determinar a viabilidade do crédito, bem como sua regularidade junto aos órgãos de proteção ao crédito. Daí a importância de ter uma boa pontuação de crédito e uma reputação limpa.

Nesta etapa, entre outros parâmetros, são examinados a renda, o perfil do cliente e o prazo do empréstimo. A aprovação do crédito normalmente ocorre em até cinco dias úteis, porém a duração da análise pode variar. O período de lançamento completo dura cerca de quarenta dias.

Na análise jurídica, os agentes financeiros realizam uma avaliação abrangente de todos os papéis apresentados para manter a transação imobiliária e resguardar todas as partes. Ou seja, o objetivo da análise é garantir a segurança do processo e o bem-estar de todos os envolvidos.

6- Realizar vistoria técnica do imóvel

Uma vez que a instituição financeira tenha dado seu consentimento para que o procedimento continue, é hora de realizar uma vistoria do imóvel, que deve ser realizada por um engenheiro ou arquiteto licenciado, com documentação de pagamento válida.

O objetivo da visita técnica para financiamento imobiliário é verificar se o valor do imóvel e o valor de mercado são compatíveis, bem como se as circunstâncias do apartamento estão de acordo com as normas que permitem o seu financiamento. Além de confirmar que o apartamento não possui problemas estruturais, infiltrações ou danos, uma inspeção minuciosa deve ser realizada. Se tudo estiver em ordem, será elaborado um relatório detalhando as seguintes fases do financiamento.

7- Assine o contrato de empréstimo e registre-se no cartório

Se não houver pendências neste momento, o contrato de financiamento é assinado e deve ser registrado no Cartório de Registro de Imóveis. Nesse ponto, entram em jogo outras despesas, como o custo de registro e o Imposto sobre Transmissão de Bens e Imóveis (ITBI). Lembre-se que para o contrato ser fechado, deve haver alguma preocupação remanescente.

É fundamental lembrar que, ao assinar o contrato, o comprador não terá acesso à escritura do imóvel, pois o imóvel ainda estará vinculado à instituição credora.

8- Finalize o procedimento para liberação de recursos

Após todas as etapas anteriores serem aceitas, é hora de transmitir o registro do contrato ao banco responsável pelo financiamento. Agora, muito pouco é necessário para que seu objetivo se torne realidade.

Para que o banco libere o financiamento do vendedor, você deve fornecer uma cópia do contrato. No prazo de cinco dias úteis após o recebimento do contrato registrado, isso normalmente é realizado através do depósito dos fundos em uma conta bancária, ordem de pagamento ou DOC. Depois disso, tudo o que você precisa fazer é obter as chaves e organizar sua mudança!

Seguir todos os trâmites necessários de como financiar um apartamento facilita o projeto, e você sempre pode contar com a assistência de um corretor de imóveis, que trabalha com ele diariamente e tem mais experiência que o banco e a construtora. O controle de cada fase do financiamento reduz a probabilidade de surgir um problema que impeça todo o processo.

Um conselho final é ter uma preparação financeira eficaz para que você pague todas as parcelas no prazo. Portanto, organize seus fundos, evite custos supérfluos, mantenha-se em dia com suas contas e, principalmente, selecione uma opção de financiamento adequada ao perfil e à necessidade.

CONFIRA TAMBÉM