O que fazer quando o dinheiro acaba? Confira as soluções práticas!

No Brasil, milhões de empreendedores individuais e empreendedores de micro e pequenas empresas são donos de pequenos negócios. Já são mais de 17 milhões de pessoas que, de alguma forma, trabalham por conta própria (algumas até formalizadas, ainda que minoritárias) ou operam um pequeno negócio, registrado ou não.

E, diariamente, há relatos de colegas, conhecidos e rivais que fecharam suas empresas. Eles são substituídos por outros: “sob nova direção”.

O que fazer quando o dinheiro acaba? Veja agora tudo que você precisa saber! Fique até o fim.

➵ Leia também: É vantagem fazer amortização de empréstimo: Veja agora se vale a pena!

O que é a gestão financeira?

A gestão das finanças é o aspecto mais essencial do negócio. Todos se esforçam para ganhar dinheiro e realizar seus sonhos: formar uma família, comprar uma casa, realizar uma viagem relaxante, abrir uma filial e desenvolver o negócio, substituir a cabine por um modelo mais novo e lançar o produto que projetaram. “Uma pequena quantia de dinheiro para explodir no mercado.”

A gestão financeira engloba todas as tarefas e processos administrativos associados ao planejamento, implementação, análise e controle das atividades financeiras de uma pequena empresa. Em linguagem simples: otimize os resultados (lucro) das ações.

Para iniciar a gestão financeira, é preciso decidir extremamente desafiadora para praticamente todos no mundo das pequenas empresas: separar os fundos da empresa dos fundos pessoais (para manutenção da família).

As pequenas empresas geralmente combinam a Pessoa Física e a Pessoa Jurídica. O fato de haver apenas um bolso (para pagar e receber) complica ou inviabiliza a administração financeira do pequeno negócio.

Importância da gestão nas pequenas empresas

A gestão facilita uma compreensão precisa das despesas e resultados de vendas ou serviços. Quando você não sabe o valor de seu produto, commodities ou serviços, não pode determinar quanto cobrar por eles. Além disso, a verdadeira margem de lucro é desconhecida.

Despesas intangíveis, como depreciação de ferramentas, equipamentos, carros e prédios, e reposição de estoques, são incluídas no cálculo do lucro.

O empresário eventualmente precisará substituir seus equipamentos, ferramentas, computadores e automóveis desgastados, atualizar suas instalações e introduzir novos itens, tudo isso custará dinheiro.

Se essas cobranças não forem contabilizadas ao criar um orçamento para o cliente ou enviar uma fatura, chegará o momento em que elas vencerão e você se perguntará onde está o dinheiro. Para onde foram meus ganhos?

É por isso que os fundamentos da gestão financeira são tão importantes.

Como melhorar

É do conhecimento geral que os fundos excedentes tornam as coisas mais simples. O empresário ri à toa, habilmente levanta suas ações, recebe descontos pagando à vista, ou aplica o dinheiro em fundos de investimento, Certificados de Depósito Bancário (CDB), ou economiza no banco de sua preferência. É uma decisão pragmática: apenas resgatá-lo quando precisar.

No entanto, quando está ausente? Aqui estão algumas alternativas:

Mais pesadas:

  • Solicite um empréstimo no banco de sua escolha. Nesse ponto, ele perceberá que sua conexão com seu banco não é perfeita. As taxas de juros estão altas, as exigências de garantias estão aumentando, os prazos estão diminuindo e a administração do banco deve cumprir suas metas.

Se ele utiliza o cheque especial como extensão de sua conta corrente, ele não faz nada além de trabalhar para pagar os juros e recompensar os credores. Usar o cartão de crédito e parcelar o pagamento é uma espécie de suicídio corporativo programado, já que a maior taxa de juros do sistema financeiro é cobrada no parcelamento.

  • Por meio de negócios de desenvolvimento comercial, venda/adiantamento de recebíveis (principalmente cheques pré-datados) (o popular “factoring”). O fator de desconto usado ao considerar a compra geralmente não é baixo, mas é sempre uma possibilidade.

Racionais:

  • Negocie um prazo maior de pagamento com seu fornecedor ou credor, evitando taxas onerosas (como juros e multas) e preservando sua imagem junto a ele. Ninguém gosta de se assustar quando um pagamento está atrasado. No entanto, quando as condições de pagamento são divulgadas e renegociadas, o credor costuma ser tolerante, pois isso elimina o elemento surpresa.
  • Solicitando que os clientes efetuem pagamentos antecipados: Solicite a capacidade de pré-depósito de alguns cheques pré-datados que você recebeu. Não os desconte (através de depósitos, descontos ou acordos com empresas de factoring ou agiotas) sem informar o emissor. Pode ser a conclusão do relacionamento com o cliente ou cliente. Na realidade, se o cheque pré-datado for pago antecipadamente, pode dar origem a um pedido de indemnização judicial.
  • É significativamente mais simples negociar recebíveis de cartão de crédito do que outros tipos de recebíveis. É um processo automatizado, principalmente se realizado pelo banco ao qual seus recibos estão anexados (endereço bancário). As taxas de desconto são atrativas, pois o risco operacional para os bancos se aproxima de zero.

Claramente, quando você fica sem dinheiro (capital de giro), tudo se torna mais desafiador. Mas como evitar ficar sem dinheiro? É aqui que a gestão financeira entra em cena por meio do planejamento de investimentos, receita, gastos e fluxo de caixa.

Planejamento financeiro

Criar uma planilha (no computador ou à mão) para registrar tudo o que você deseja ou precisa gastar ou investir em um determinado período (dia, semana, mês, trimestre, semestre ou ano) é o método mais adequado. Em seguida, avalie minuciosamente e confirme se tudo é essencial ou se há itens que podem atrasar (podem esperar mais tempo para serem realizados).

Em custos e despesas, certifique-se de incluir uma previsão para os seguintes (intangíveis): substituição de equipamentos, ferramentas, computadores e automóvel (se você for taxista, inclua a substituição do veículo por um mais novo e mais adequado, muitas vezes obrigatório pelos Municípios).

Em seguida, considere de onde virá o dinheiro para atender a esses custos e despesas e, se necessário, investir.

O “Controle de Fluxo de Caixa” é a técnica mais simples e convencional para ter essas estatísticas prontamente disponíveis em todos os momentos:

  • Na coluna Entradas, liste as projeções de receita (faturamento);
  • em outra, intitulada Saídas, as devidas responsabilidades (fornecedores, assistentes, comissões, impostos, energia, telecomunicações, água, etc.);
  • Na terceira coluna, forneça o Saldo do período.

A diferença entre entradas e saídas é o equilíbrio. Se for negativo, é hora de considerar como compensar a diferença (déficit): adiar pagamentos, antecipar receitas (como visto acima) e, o mais importante, investigar onde você errou.

Os gastos estão corretos? Todos eram obrigatórios? E a renda: o preço (das vendas ou serviços) é compatível com o meu esforço? Você está na linha de trabalho correta?

Sempre se envolva em auto-reflexão e se esforce para melhorar da próxima vez. A implementação da gestão financeira nas pequenas empresas será um excelente ponto de partida.

Uma última advertência: nunca, em hipótese alguma, abdique do caixa operacional para realizar investimentos fixos. O capital de giro é sagrado para pequenas e grandes empresas.

É o oxigênio que prolongará a vida do negócio. Os investimentos em ativos fixos requerem financiamento com prazos adequados e taxas de juros aceitáveis, que muitas vezes são fornecidos por bancos e cooperativas com recursos dos governos federal e estadual.

Se você não conseguir obter financiamento bancário, pode combinar um plano de pagamento adequado com o vendedor dos itens, mas não deve desligar o oxigênio. Sem isso, nada pode durar.